Converter-se é querer amar e é amar a Cristo, que nos ama.

Ainda por quanto tempo estaremos apegados à realidade presente? Quanto tempo será ainda necessário antes de despertarmos? Ainda por quanto tempo descuidaremos a nossa salvação? Deixai-nos recordar aquilo de que Cristo nos considerou dignos, deixai que lhe agradeçamos, glorifiquemos, não só com a nossa fé, mas também com as nossas obras efectivas, que possamos obter os bens futuros pela graça e amorosa ternura de nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual e com o qual sejam glorificados o Pai e o Espírito Santo, agora e por todos os séculos. Amém.

(São João Crisóstomo, In Ioannem 46, 4 (PG 63, 262),
citado pelo Papa Bento XVI, na Carta por ocasião do XVI centenário
da morte de São João Crisóstomo
, de 10 de Agosto de 2007.)

Circumfulsit nos lux de cælo (Act 9,3).

Agora tudo está repleto de luz,
os Céus, a terra e o inferno.
Que toda criatura festeje a Ressurreição de Cristo,
em quem está a nossa força

Cristo ressuscitou dos mortos e venceu a morte pela morte;
aos que estavam no túmulo, Cristo deu a vida!

Ontem eu estava sepultado contigo, ó Cristo,
hoje ressuscito contigo,
Tu que és o Ressuscitado.
Ontem eu estava crucificado com Cristo!
Glorifica-me contigo, em teu Reino, ó Salvador

Cristo ressuscitou dos mortos e venceu a morte pela morte;
aos que estavam no túmulo, Cristo deu a vida!

Jesus, tendo saído do túmulo como havia predito,
concedeu-nos a vida eterna e a sua grande misericórdia.

(Tropário da 3ª Ode do Cânon da Gloriosa Ressurreição do Santo Ofício Pascal,
segundo a Divina Liturgia de São João Crisóstomo.)